Chama-se Kaya e quer ser uma casa para todas e para todos. O primeiro centro de inclusão social privado, que abriu portas a 21 de Setembro na Rua do Bagamoyo, será muito mais do que um refeitório social, pretendendo ser simultaneamente um espaço lúdico para crianças e de formação técnico-profissional para adolescentes e adultos em situação de vulnerabilidade e pobreza extremas.

O Kaya resulta de uma parceria entre a Sociedade de Desenvolvimento do Porto de Maputo (MPDC), a Plataforma Makobo e o Município de Maputo, tendo por objectivo a inclusão socioeconómica de indivíduos. As instalações, cedidas e reabilitadas pela MPDC, foram transformadas para poderem abrigar um refeitório social, balneários e casas-de-banho e um cabeleireiro que servirá de escola de formação.

Pretende-se que o projecto tenha ainda  salas de atendimento primário, consultas de apoio psicossocial e encaminhamento dos utentes para cuidados especializados de saúde.

“É imperativo devolver dignidade aos nossos irmãos e irmãs. Há muitas pessoas que, por razões diversas, vivem na rua e da rua. É obrigação moral de todos nós fazermos tudo o que esteja ao nosso alcance para os retirar dessa condição e promover a sua inclusão e sustentabilidade”, explicou Ruy dos Santos, fundador da Plataforma Makobo.

Numa fase inicial o Kaya irá fornecer uma refeição diária aos seus utentes, de segunda a sábado. Enquanto isso, a logística de funcionamento do espaço será aprimorada e serão estabelecidas as várias parcerias com o sector privado que irão garantir a sua sustentabilidade. O Município de Maputo, através da vereação da acção social, irá garantir a cedência de profissionais da área social produtiva, estabelecendo várias sinergias para que a iniciativa atinja os seus objectivos.

Scroll to Top