Maputo, 10 de Fevereiro de 2020: Os volumes manuseados pelo Porto de Maputo atingiram 21 milhões de toneladas em 2019, batendo assim o recorde de 2018 de 19.5 milhões de toneladas. Este crescimento de 8% esteve principalmente baseado no manuseamento de crómio e um crescimento substancial no manuseamento de contentores e magnetite.

Do total de volume manuseado, o crómio foi responsável por 30%, sendo que 6.4 milhões de toneladas deste minério foi transportado por estrada (82% de todo o crómio manuseado pelo porto). No entanto, o esforço conjunto empreendido pela empresa Moçambicana de caminhos-de-ferro CFM, a empresa ferroviária sul-africana TFR e o Porto de Maputo continua a produzir resultados positivos na obtenção de maior eficiência na ferrovia e um maior equilíbrio entre a carga rodoviária e ferroviária.

Por outro lado e como consequência da expansão do terminal de contentores e duma estratégia de marketing arrojada, o manuseamento de contentores apresentou um crescimento considerável na ordem de 53% relativamente a 2018, manuseando um total de 162.000 TEUs.

Em 2020, com a conclusão do projecto de reabilitação dos cais (a primeira fase será entregue em Maio de 2020 e a segunda fase em Julho de 2020), está previsto um crescimento adicional e uma maior eficiência no manuseamento de carga. A reabilitação irá não só criar cais com um calado de até -16 metros, como irá melhorar a taxa de ocupação dos cais através da criação de uma área de atracação maior. Uma nota importante no projecto de reabilitação dos cais bem como na dragagem de manutenção do canal que teve início no ultimo trimestre de 2019, foi o envolvimento de estagiários de engenharia, jovens estudantes que tiveram a oportunidade de participar activamente em todas as fases das obras.

A aquisição de novo equipamento de manuseamento de carga tais como dois guindastes móveis, pás-carregadores, tractores, escavadores para descarga de vagões, etc. contribuíram para os resultados atingidos no manuseamento da carga a granel. A par disto, o Porto fez progressos na introdução de inovação através da implementação de sistemas de automação e um centro de formação completo (com simuladores), que estão já a contribuir para melhorar a eficiência operacional e a segurança.

O ano passado foi também marcado pelo lançamento de um projecto de emprego inclusivo, o Porto+. O projecto empregou 15 pessoas com deficiência e influenciou positivamente outras empresas a considerar a implementação de projectos semelhantes. A pegada social do Porto de Maputo fez-se também sentir em projectos como o INOVA-TE (uma competição de inovação dirigida a estudante de tecnologias de informação) e pelos projectos de requalificação da Baixa de Maputo.

Leave a Comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Scroll to Top