Maputo, 21 de Janeiro de 2021: Os volumes manuseados pelo Porto de Maputo em 2020 decresceram 13% em comparação a 2019, tendo sido manuseados 18.3 milhões de toneladas contra as 21 milhões de toneladas no ano anterior. Esta redução é atribuída principalmente aos efeitos da pandemia da COVID-19 e às medidas tomadas para conter a sua propagação, nomeadamente o encerramento de fronteiras e o lockdown sul-africano entre Março e Abril de 2020 e as restrições no funcionamento a fronteira que se sentiram durante todo o ano.

Por outro lado, o volume ferroviário de crómio e ferro-crómio registaram um crescimento notável de 33% quando comparado com 2019. Com uma tendência crescente nos últimos anos – um reflexo das medidas de eficiência tomadas pelo Porto e pelos operadores ferroviários CFM e Transnet – a pandemia deu um estimulo positivo à migração dos minérios a granel crómio e ferro-crómio da estrada para a ferrovia, sendo que o rácio carga rodoviária vs. carga ferroviária cresceu de 20% em 2019 para 25% do total dos volumes manuseados em 2020.

Apesar deste decréscimo nos volumes totais manuseados, a MPDC apoia plenamente as medidas tomadas para conter a pandemia. “Um dos valores principais da nossa empresa é o respeito pela Vida Humana e acreditamos em cuidar dos nossos trabalhadores e dos nossos compatriotas. A batalha contra a pandemia só pode ser vencida se for uma luta de todos nós”, frisou Osório Lucas, Director Executivo da MPDC.

“Apesar da ligeira descida no volume manuseado e das medidas de contingência financeira que tivémos de adoptar, mantivémos o nosso compromisso de investir na expansão e reabilitação da infraestrutura portuária”, acrescentou. Tais investimentos foram feitos em 2020 no projecto de reabilitação dos cais, no aprofundamento dos cais até -16 metros, na expansão das bancas para minérios e no aumento da capacidade ferroviária. Todos estes projectos encontram-se actualmente em fase de conclusão e serão entregues no segundo semestre de 2021.

Os desafios impostos pela pandemia também abriram caminho à implementação de soluções de automação para melhorar a gestão de tráfego portuário. Aplicativos de TI criados internamente em 2020 permitem agora que o porto tenha visibilidade total do corredor rodoviário, melhorando assim a eficiência na aplicação de meios materiais e humanos.

Para 2021, o Porto de Maputo prevê uma recuperação cautelosamente optimista. “Estamos convictos que, apesar de ainda sob o efeito das medidas da pandemia, iremos colher os frutos do nosso investimento na infraestrutura portuária e em soluções tecnológicas”, concluiu o Director.

Leave a Comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Scroll to Top